zondag 5 februari 2012

AO ALVES DOS REYS TORTO TUDO CHEGA A BOM PORTO SE CHEGA MORTO

QUANDO NOS ACORDOS NÃO HOUVER ROMANOS

NEM ÁRABES NA LÍNGUA VICIOSA

NEM VÍRGULAS NO MAR, NEM UMA PROSA

SE DESFOLHAR NOS DEDOS DOS MARRANOS


QUANDO AS LETRAS RUDES EM PARÁGRAFOS VAGOS

DESTRUIREM NAS PALAVRAS AS LETRAS FALSAS

QUANDO O TEMPO ESCORRER LETRAS DESCALÇAS

E SORVENDO ESVAZIAR OS LETRADOS PAGOS

QUANDO OS ANTIGOS MESTRES FICAREM MUDOS

E OS ALVOS REYS DAS LETRAS AGRESTES

COMO AS GENTES QUE EMPENHAM AS VESTES

FICAREM SEM PÚRPURAS PALVRAS E VELUDOS

E QUANDO A SOMBRA DO DESACORDO PESADO

FIZER SEU ÚLTIMO E FATAL BAILADO

E OS FRACOS PAUS NESSA MARÉ SALGADA

SE AFUNDAREM COM LETRAS DE TESÃO

E AS TURBAS TIVEREM DA PALAVRA DADA

TUDO DAQUELA LÍNGUA DITA DE CÃO

NÃO CHAMEM POR MIM, QUE ESTAREI MORTO

Ó POVO QUE VOLTEIAS DE PORTO EM PORTO

EDITORA

TRADITORA

DE REYS MORTO EM CADA EDITORA TORTO

Ó ALVES SEM BOM PORTO

DE MALTESE CORTO

SORTO IN SORBELHO PORCO

Geen opmerkingen:

Een reactie plaatsen